Setembro Amarelo - Mês da prevenção do suicídio

11:50:00

Olá amores, estamos no mês de setembo , mês que acontece o Setembro Amarelo que é uma campanha que acontece desde 2014 em todo o país e visa a conscientização sobre a importância da prevenção do suicídio, no post de hoje vamos falar desse assunto delicado que é de tão grande importância. 



Durante todo o mês de setembro, é comum ver espaços públicos e privados decorados e/ou iluminados com a cor amarela. O período foi escolhido porque 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.


Atire a primeira pedra quem nunca pensou em morrer diante de uma dor terrível ou profundo desespero. Mas o que faz com que uma pessoa se mate? Especialistas afirmam que esse problema acontece com público de várias faixas etárias e em todas as classes sociais.


 " Os cinco principais transtornos associados ao suicídio são: depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia, dependência química, transtorno de personalidade — principalmente bordeline. Fatos como a desestruturação familiar e a ineficiência da rede de saúde para tratar essas doenças ajudam a agravar a situação. "


Na maior parte das vezes aquele que se suicida avisa de alguma forma, e mais de uma vez, antes de cometer o ato. Porém, há uma descrença das pessoas próximas. Geralmente acreditam que a pessoa está querendo apenas chamar a atenção, ou que “quem quer se matar de verdade não avisa, simplesmente se mata. "Pensamentos completamente errado!"


A ideia de acabar com a própria vida não é normal e não podemos considerar que seja algo natural em algum momento da vida. Por isso, quando alguém chega a verbalizar a vontade de se matar, é importante que familiares e pessoas próximas fiquem atentos ao invés de deixar o assunto de lado. Além da descrença e do preconceito sobre o assunto, há também um real despreparo da sociedade com o problema.



  • O que fazer?
O que fazer quando uma pessoa querida cogita a ideia de acabar com a própria vida? Buscar ajuda profissional e nunca duvidar! Os profissionais capacitados para lidar com essa situação são o psicólogo e um médico psiquiatra. Juntamente com essa rede profissional é imprescindível que haja um apoio familiar que suporte esse momento de angústia tão forte.



  • Aspectos psicológicos
A grande maioria daqueles que já pensaram alguma vez em tirar a própria vida apresenta algum tipo de adoecimento mental que o leva a acreditar que essa seja a melhor solução para acabar com o sofrimento . As doenças mentais mais comuns são depressão, bipolaridade e esquizofrenia.


Existem também outras circunstâncias da vida em que a possibilidade do pensamento suicida é maior, como: pessoas enlutadas (principalmente em idosos), abuso de álcool e drogas, pessoas que sofreram maus tratos ou abuso sexual na infância e o desamparo. São situações em que a angústia e o desespero são tão intensos que a pessoa não suporta sentir.


Geralmente o processo de angústia e desespero vai crescendo aos poucos. A pessoa começa a se isolar, a evitar situações que antes eram prazerosas e pode até começar a ter dificuldades na realização das tarefas diárias como ir trabalhar, por exemplo. Nesse movimento, não se consegue perceber racionalmente o motivo de tamanho desespero, pois “tenho tudo que alguém gostaria de ter” e, com isso, a vergonha e a culpa de estar se sentindo mal apesar “de estar tudo bem perante os olhos dos outros” faz com que ela se feche e se isole ainda mais. A pessoa sente muita vergonha de conversar e de pedir ajuda, dessa forma, os sintomas tendem a piorar.



  • Você não está só!
Existem sim outras saídas! O apoio e o afeto das pessoas próximas são fundamentais. A psicoterapia é uma ferramenta de grande ajuda onde a pessoa pode trabalhar os seus fantasmas e os medos mais profundos e perceber que existem outras formas de viver apesar daquilo que lhe aconteceu. A medicação, receitada por médico psiquiatra, também se torna um aliado imprescindível para permitir que a angústia e a ansiedade diminuam um pouco e, no caso das doenças mentais, que seja realizado o tratamento devido.


O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e voip 24 horas todos os dias. 

LIGUE 141

Você pode conversar com um voluntário do CVV ligando 141 ou diretamente ao posto de sua região !



Então é isso gente, espero que o post sirva de alerta ou de ajuda. Suicídio é um assunto sério e tem que ser debatido .  Você não está só! Mil beijinhos e até a próxima! 😘

~x~

Fotografia: Ane Santos (@anesantosfotografia)

...


Fonte: https://acaminhodamudanca.wordpress.com/textos-1/filmes/precisamos-falar-sobre-o-suicidio/
https://blogdamonique.com.br/2017/04/21/precisamos-falar-sobre-suicidio/
https://mdemulher.abril.com.br/estilo-de-vida/setembro-amarelo-o-que-e-importancia/

You Might Also Like

0 comentários